desejo

Eu quero um início de fim, um prognóstico que permita-me perder-me. Sem expectativa de volta, poder me atirar de cabeça nos vícios que conquistei ao longo de uma vida de desperdícios em que balança-se entre o amor ao ar e a tentação de sufocar-me em diversão.
Quero a desesperança, sim, para poder te amar, trepar, casar com os químicos sem o remorso de quem outrora os temeu. Não mais precisar repensar, voltar, retomar o caminho de dez anos antes apenas para num momento de fraq… de glória sucumbir outra vez ao prazer ininterrupto e quase inconsciente, onde cada passo sem sentir o chão nos empurra para o seguinte nesse andar onírico pela autodestruição que é volante do entretenimento.
Só assim será possível sorrir, sabendo que não há escolha senão a entrega total até o fim dos dias, até o último arfar, até o coração parar de bater e no rosto estagnar-se o sorriso idiótico de um personagem tragicômico de Victor Hugo.

Anúncios
Esse post foi publicado em sem categoria. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para desejo

  1. Graziela disse:

    Pareçe que eu sabia chegando aqui e lendo isso ia me sentir diferente de alguma forma que não sei explicar,só me vi no que acabei de ler.É, ler algo com palavras que não se usa no cotidiano só me traz satisfação, isso me toca.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s