em saber de tua morte

Estou triste em saber de tua morte
Como foi? Ouviste o som de sirenes
ou te entregaste ao sono
para nunca mais?

Lembraste de mim momentos antes?
Não quero parecer egoísta, mas
por curiosidade, lembraste?
Assinaste papel, deste-me ouro
prata, ferro, papel, um confete?

Estou triste em saber de tua morte.
Não vais voltar, é isso mesmo?
Confirmam-se as notícias?
Sabe como é…
é sempre bom perguntar.

Levaste consigo lembranças
ou és só o invólucro vazio
que outrora portou alma?

Podes dar um recado aos vermes?
Nada tenho a lhes dizer,
mas alegraria-me saber
que se tivesse, dirias por mim.

Nada tinha também a falar-te
então por que, por que,
se há lógica — e há lógica!
por que estou triste
em saber de tua morte?

Anúncios
Esse post foi publicado em versos e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s