teu campo

Teu campo não fornece paisagem
nem as terras dele frutos ou pasto
Tua tenda não te abriga da chuva
nem segura das feras teus entes

Tua voz não canta harmonias
nem tuas mãos dedilham viola
O fumo que enrolas é ardente
e a cachaça que bebes, cospem.

Teu sorriso virou-se e
teu suspiro é um sopro
jogando quem foste
pra longe, pra além
dos teus olhos que
já não mais enxergam.

Anúncios
Esse post foi publicado em versos e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s