10 livros preferidos

Tenho sérios problemas com essas listas e quase sempre recorro aos que li recentemente, mas vamos lá:

1933 Foi Um Ano Ruim, Os Caminhos de Los Angeles, Espere a Primavera, Bandini, Pergunte ao Pó, Sonhos de Bunker Hill ; todos de John Fante.

Ardil-22, de Joseph Heller.

Berlin Alexanderplatz, de Alfred Döblin

Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez

Crônicas do Delírio Cotidiano, de Charles Bukowski.

De Repente, Acidentes, de Carl Solomon.

O Ideograma Impronunciável, de João Kowacs.

FIco meio na dúvida se devo colocar livro de amigo meu aqui, mas não tem muito por quê. A verdade é que incluo esse livro na lista porque João está entre as mentes mais criativas das quais já tive conhecimento, e nesse livro, apesar de ser estreante e ele provavelmente ter feito tanto e tão bem depois, mostra isso. Desde o conteúdo das histórias até o desenrolar do texto e a força descritiva, o livro todo é uma lição de um patamar inalcançável do que se chama “escrita criativa”. Recomendo “A Festa”. É um conto sobre uma situação simples, mas descrita de forma única, não só pela atenção aos detalhes, mas pela forma com que Kowacs nos lhos apresenta.

Minha Querida Sputnik, de Haruki Murakami.

Nem de longe o “melhor”, seja pela história ou pelo texto (a tradução pra português pareceu boa, antes que alguém pergunte se estou me guiando pelo texto original), mas, ao mesmo tempo, a dinâmicade Murakami, o jeito com que tu é levado pela história, e as reviravoltas dentro da história – e reviravoltas, no caso, e quem conhece o autor, sabe que não são simples mudanças de trama – tudo isso mais o carisma dos personagens e como nos envolvemos com ele me obriga a colocar esse livro aqui.

The Ultimate Hitchhiker’s Guide to the Galaxy, de Dougas Adams.

Nunca deixo esse livro fora de listas do tipo. Recentemente li um livro a respeito de H2G2 e Adams e comecei a gostar ainda mais. A verdade é que, além de criativo, Adams escreve bem sim, o que é raro em ficção cientfífica. Tudo bem que ele não é um escritor sci-fi, mas bem, o texto dele é muito bom também para um escritor de comédia. O cara sabe sabe o que faz com a língua inglesa, e por isso mesmo tenho minhas dúvidas quanto ao alcance das traduções (embora o primeiro da série, em português, me tenha agradado e feito rir bastante).

Viagem ao Fim da Noite, de Louis-Ferdinand Céline.

Anúncios
Esse post foi publicado em literatura & lingüística e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para 10 livros preferidos

  1. João Kowacs disse:

    que honra coi!
    <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s