crise hídrica

Herói e Vilão sempre foram as representações antagônicas do dilema inerente à condição humana: bem versus mal. Nem perderemos tempo discutindo o que é o bem ou o que é o mal porque a idéia de bem e mal representam dicotomias várias, sem as quais não funcionamos porque é o todo formado por eles que forma um ser. Como em programação binária ou signos lingüísticos.

E se somos formados por opostos, somos, cada um, também opostos em relação a outrem ou a determinadas circunstâncias.

E se estou escrevendo isso é porque acabei de imaginar a presença do supervilão Homem-Hídrico, da Marvel Comics, que tantas vezes incomodou o Homem-Aranha — a última vez que o vi ele estava envolvido na clonagem da Mary Jane durante a Saga do Clone -, em São Paulo.

“WHO IS THE VILLAIN NOW, BITCH?!”

Anúncios
Esse post foi publicado em literatura & lingüística e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s