Quanto tu te atira no abismo

Quando tu te atira no abismo
    não espera atrás de si
        testemunhas
    nem roga que te lancem cordas;

  tu te atira no abismo.

E se o que encontras
    é mar e o mar
    te leva com calma
        pra praia,
    tu não pergunta do abismo;
        tu deita na areia.

Anúncios
Esse post foi publicado em literatura & lingüística, versos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s