café e a falsa morte

    O vapor do café me alcança e corro à presença da cafeína, é tudo que precisava, penso, e respondo: pena que não basta.
    Há um mundo inteiro lá fora querendo ser feliz e eu aqui, valorizando minha tristeza.
    Que chuva. É bom pra (algumas) colheitas. Não adianta: tenho empatia, mas não otimismo. Uma pena pra quem quer sol. Gente egoísta.
    Vou fumar: meu vício egoísta.
    Antes, um apelo: não me enterrem, não me incinerem, nem me navalhem por órgãos antes de certificar minha não morte.
    Prepara o Dry Martini e leva à boca do cadáver. Se não estiver bom, aviso. Se estiver… Chamem toda a equipe: vou incomodar.

Anúncios
Esse post foi publicado em contos & mini-roteiros e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s