Ulysses Porto Alegre

Escrevi esse rascunho há alguns anos. Seria uma adaptação de Ulysses, de James Joyce, para um curta-metragem tendo como cenário a cidade de Porto Alegre. Muitos diálogos e descrições foram deixados para depois e provavelmente jamais serão escritos, já que não vejo motivo pra finalizar isso. A piada é o rascunho em si e vamos deixar assim.

CENA 1 EXT.- DIA – USINA DO GASÔMETRO

Vista de fora da Torre do Gasômetro. Zoom-in

CENA 2 INT. DIA – “SACADA” DO GASÔMETRO

DEDALUS

blablablablablabalablablablabla

CENA 3 INT. DIA – SALA DE AULA

DEDALUS

Deus é um grito na rua…

DEUS (EM OFF)

Fiat lux!

CENA 4 EXT. DIA – PRAIA

Dedalus fica caminhando na praia. Cigarrinho e uisqueira.

CENA 5 INT. DIA – AÇOUGUE/MERCADINHO

Bloom compra uma soja

CENA 6 EXT. DIA – CALÇADA

Bloom chegando em casa (prédio notório no Bomfim)

CENA 7 INT. DIA – BANHEIRO

Bloom está sentado numa privada lendo Morangos Mofados. Esposa cantando
ópera (ao fundo). A letra da ópera podesugerir que ela está esperando o marido sair pra receber o amante. Bloom ouve isso, fica pensativo por um segundo, mas faz gesto de ‘aaah, naaah, bobage’.

CENA 8 EXT. DIA – BANCA DE JORNAL*

Bloom compra o jornal, sai; Dedalus chega na mesma banca.

*no original (livro), sala de redação

CENA 9 INT. DIA – LANCHERIA/OCIDENTE/BAMBUS

Bloom curtindo um rango veggie delícia. Telefona pra alguém. Vozes ao
fundo. Uma das vozes, a de Dédalus, fala sobre Chespirito.

CENA 10 EXT. DIA

Bloom vai caminhando pela cidade, continuamente – começa com uma carta
na mão, que abre e lê. Trajeto: Osvaldo Aranha, Barros, Independencia.

CENA 11 – INT. DIA (LOCAL: ???????)

Em um pub, Leopold é abordado por um nazi skin.

CENA 12 EXT. ENTARDECER

Caminha até o gasometro. Sobe a plataforma* e observa o por-do-sol. Vê uma moça na praia. Ele começa a tocar uma bronha.

(*acesso proibido)

CENA 13 EXT. NOITE – HOSPITAL (FRENTE)

Dedalus está na rua fumando. Bloom sai, tira um cigarro da

carteira, tateia; nao acha fogo. Pede pra Dédalus,

Conversam, conversam, Dedalus convida pruma noite

DEDALUS

Por que vc nao fecha um e a gente fuma um pouco? Nao precisamos ficar louco só atingir o estado ideal de temperatura e pressao Pra falar tudo que deve ser falado sem incorrer nas grosserias habituais*

*Ref.: “Fecha Um”, de Jimi Joe

CENA 14 INT. NOITE – BORDEL/BAR

GAROTA DA PRAIA

você viu a luz?

BLOOM (DOIDAÇO)

Sim, eu vi a luz qndo vi vc saindo

do mar nua sob a luz do luar

GAROTA DA PRAIA

Por que você não fecha um e a gente

dá uns tapas? E acha no Mapa da

Cidade algum lugar legal pra ir,

tomar um vinho…

CENTA 15 EXT. NOITE – FRENTE DA CASA DE BLOOM

BLOOM

Quer subir?

DEDALUS

Nem…

Bloom e Dedalus mijam na rua. Cada um vai pro seu lado.

(FIM)

Anúncios
Esse post foi publicado em cinema & teatro, literatura & lingüística e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s