quadrinhos são necessários, pô!

A não ser que você transforme um cara que tentou se matar com uma espingarda porque o Kurt Cobain fez o mesmo e ficou com a cara arrebentada pra dentro com a boca parecendo um cu num dos mais emblemáticos personagens de sua ficção, você para de achar que sabe ou faz alguma coisa, vai la, le um monte de quadrinhos e ai sim volta pra sua patetica tentativa de fazer arte, seja ela qual for.

Sim, eu fico muito tristinho com pessoas que não lêem quadrinhos. Fico triste porque elas se metem a fazer coisas que provavelmente só existes — ou se tornaram apresentáveis — por causa das HQs. Toda arte sequencial. E o escambau.

Sobre o cara-de-cu: personagem de Preacher, de Garth Ennis e Steve Dillon.capa de especial de preacher com o rosto do cara-de-cu

Anúncios
Esse post foi publicado em cinema & teatro, literatura & lingüística e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s