gente

Eu não tenho um background pra apresentar. Nada em que me apoie, exceto o que construí nessa pouca vida. E essa vivência, essas memórias, esse conjunto de fatos e gente é efêmero. Percebe-se, por isso é impossível se apoiar honesta em completamente.

Sinto que nasci pra morrer. Como todo mundo… Mas por ter decidido ainda infante não ir além disso, perdi qualquer possibilidade de criar laços permanentes com outrem.

Não que não hajam, mas vivo na certeza de que se romperão, ou melhor, deslizaram, porque o que os segura é escorregadio.

O resultado não é desapego, au contraire: prezo cada momento com cada pessoa.

Não sei não ficar feliz quando encontro quem amo. A sensação de unidade com outras pessoas leva demais o espírito desgarrado. Vonta de ficar pra sempre. Aliás, nunca tive um momento só, em pensamentos. Dialogo constantemente com a lembrança de todos que conheci, de todos que se fizeram presentes em mim.
Aquela gargalhada, aquele afago, aquele olhar… Jeitos de falar. Vocês.

Vocês me trouxarem prum mundo além do meu não-mundo.

Não me deixem morrer.

Eu te amo.

Coiote

Anúncios
Esse post foi publicado em a vida em anexo. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s