o bar mágico

cachaça bitter a dois real
sinuca pequena

ambiente externo para fumantes
ambiente interno para fumar

a duas quadras da polícia
a duas quadras da fuga pel’avenida

sito à perspectiva sabe-se não pr’onde
aberto desde a hora do repé

onde ninguém sabe meu nome
ninguém sabe meu nome

ninguém sabe
e eu existo de novo.

Anúncios
Esse post foi publicado em literatura & lingüística, versos e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s