joão amaro: 1983

Hoje tenho a primeira consulta (de poucas, espero) pra começar a investigar dor de cabeça dos últimos meses. Hoje é dia de editar no InDesign até ter algo no mínimo perto de apresentável pra publicar aqui. Hoje é dia de redobrar cuidados com a avó mais amada do mundo, cuja saúde deteriorou bastante nos últimos dias.

Toda a perspectiva pra hoje não seria tolerável não fosse a espera que há dias toma prioridade em meus pensamentos: o lançamento do disco novo do meu amigo, colega, irmão e ídolo João Amaro. Responsável pelos pianos da Sonora Fundação e da pública, além dos trabalhos solo (música para piano e eletrônica) já lançados no soundcloud, Amaro é uma das figuras mais importantes no crescimento deste que vos escreve, e, creio, no de muitas outras pessoas sortudas o bastante para seus caminhos cruzados por ele ao longo desses 33 anos.

Ah, sim: hoje o guri de aparência tímida que vi no fundo da sala ao virar pra trás quando chamaram seu nome em 1996 completa 33 anos. Que frutos incríveis 1983 nos deu! Seja atendendo desenhando um piano com giz sobre uma pedra ao lado do bonde pra me ensinar tons e semitons, ou caminhando horas a fio ao lado de nosso xamã Ogoid pelo bairro Petrópolis, tudo que o Amaro fez parece pelas pessoas que ama e o amam igualmente parece ter sido feito com a maior das boas vontades, e nem imagino com que dedicação, esforço e compenetração ele deve se munir ao imaginar, compor, arranjar e tocar suas músicas.

Escrevo enquanto ouço os primeiros acordes de The Conselour, então pra quem duvidava de minha indicação enquanto amigo e admirador de longa data, posso dizer: ouçam! Taí uma bela introdução! Cada instrumento entra a seu tempo, na sua calma, enquanto acordo nessa manhã de frio e céu aberto, até o teclado decidir que vai ficar e te dar motivos pra levantar. E agora já podemos acompanhar a batida, meneando a cabeça, como se concordando com a melodia. Toda música quer se comunicar contigo, mesmo que lhe passe algo diferente do que passa pra mim, mesmo que te grite algo diferente do que foi dito pelo autor, mesmo que te faça perguntas enquanto responde outras.

Então aproveita esse diálogo porque é de diálogo que mais temos precisado. E a música não vai te interromper a não ser pra quebrar o discurso degradatório que por vezes toma teus pensamentos. A música não vai ser condescendente nem negar teus sentimentos. No link abaixo, o soundcloud do Amaro, com todas as músicas deste novíssimo álbum e dos anteriores:

Feliz aniversário, meu querido, meu amado, meu amigo de sempre, pra sempre. Te amo demais! Aproveita esse dia, e os próximos, e os anos que virão: tu merece bons momentos! Os melhores, na verdade. Parabéns!

Anúncios
Esse post foi publicado em a vida em anexo, música e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s