poema escrito tentando me colocar no lugar de alguém que não sabia se iria ou se vai voltar

pare e repense um pouco

pare de pensar em si

escreva algo que não é
transcreva de longe

Nunca te contei do
  sonho que tive contigo
Mas disse que tive.

Tu falou
  que já me escreveras poemas
qual fosse, já foi.

Tu ainda és tu,
  meu caro;
não vai conseguir.

O eu é eu à vista
de outro
E este o é à minha vista;
como aniquilar todos?

Anúncios
Esse post foi publicado em versos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s