Fora Sartori!

“São deveres fundamentais do funcionário público:

j) zelar, no exercício do direito de greve, pelas exigências específicas da defesa da vida e da segurança coletiva;
o) participar dos movimentos e estudos que se relacionem com a melhoria do exercício de suas funções, tendo por escopo a realização do bem comum;”

Pelo que entendi, fazer greve e protestar é essencial quando é sua carreira, sua vida e o bem-estar social que é colocado em risco. E mamãe voltando amanhã pro seu trabalho não, ou pouco, ou parcialmente remunerado amanhã. Pelo menos enquanto a FEPPS existe, né.

Há anos a Fundação é responsável pelo controle de epidemias diversas no Estado e exames laboratoriais diversos são realizados dentro de suas dependências: confirmação de suspeitas, exames de HIV, tudo. Tudo isso fará falta? Sim. Tudo isso ficará muito mais caro se tiver de ser feito por particulares? Sim, mas não é como se o governo não soubesse disso.

Dificilmente qualquer das perdas anunciadas por Sartori faz qualquer sentido no que se refere à sua argumentação de que o motivo seria que o RS está quebrado, visto que o que essas fundações recebem e produzem, em matéria de conhecimento, pelo menos, compensa, a pequeno e longo prazo, seus gatos.

Impossível imaginar quaisquer motivos pro pacote além de algum possível e vergonhoso pré-acordo com corporações que venham a assumir os lucros dessas mesmas instituições das quais ele se desfaz ou de obter os espaços físicos que ocupam.

Anúncios
Esse post foi publicado em mundo real e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s