e se eu parar…?

O que está falado
ecoa
Ou se perde no ar

Se canta porque
a mnemonia é meio

Mas o escrito, com
ou sem motivo,
fica.

(por um tempo ou
dois depois do autor)

E se nunca mais
puder escrever?

—//—

Não desiste, não desiste
enfia teu dedo na tinta
e imprime da pele!

Não pára, meu! Ataca
a inércia da mente, empurra
as palavras pra frente;

Soca pra fora, sorve pra dentro
Mas não desiste, nunca, nunca
nunca desiste de escrever!

Anúncios
Esse post foi publicado em versos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s