“a masmorra”

meu primeiro poema. Só lembro desse trecho, do quarto ou quinto ato:

“Somos atores sobre
um palco de sangue
E nosso público
— nós!”

aí já saba que meu primeiro grande poema era ruim, muito explicativo (e figurativo a dar com pau).
exagerava uma revolta: um ateu comparando ao Ragnarok qualquer desavença familiar ou com o ambiente que sua criação privilegiada lhe dava.

Pleibei eloquente: o endoesqueleto do beatnik.

Não sou o maior poeta de todos,

mas

nem Poe é:

poeta não se mede

não se compara

porque nunca se finda.

Anúncios
Esse post foi publicado em versos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s