perdidos e salvos

Qualquer que fosse nossa perdição, amor algum poderia nos salvar. A poesia não nos salvaria, nem as viagens, os amigos, as amigas, tampouco o carinho, a cerveja, jogos de futebol, noites insones barganhando cada minuto de diversão ou debatendo as mazelas à nossa volta e nossa participação em sua causa ou resolução. Salvar o mundo não nos salvaria, mas gostaríamos de tentar. Dar com burros n’água certamente não nos seria a salvação, mas e daí? se qualquer empreendimento acertado também não salvaria.

Lamberíamos cada pedra dessa Terra que nos move e segura, se pedissem polimento ou nossas bactérias, porque sem salvação, tudo podíamos e se é pra poder que se possa algo além de si. Salve!, meu amigo.

Aquele abraço!

Anúncios
Esse post foi publicado em versos e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s