Arquivo da categoria: imagens

tudo que não fui

“Sinto uma falta imensa de tudo isso que não fui. Das circunstâncias todas que me afastaram de mim. Sinto falta de mim. De vez em quando eu choro por pensar que perdi tudo isso que acabei não sendo. Ou só … Continuar lendo

Publicado em imagens | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Leo Dias: os horrores mais bonitos

Não é à toa que o dia em que quiser uma máscara de Sandman, a única pessoa em quem confiarei pra fazê-la é o Leo Dias. Olha o tipo de trampo que esse cara faz por uma encomenda amiga e … Continuar lendo

Publicado em cinema & teatro, imagens | Marcado com , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

trending

Se tem uma coisa que a turma neo gourmet adora é aderir a qualquer tendência que disfarce de inovadora sua completa falta de criatividade, senso de praticidade ou sequer oferta ao paladar. Pra poupar o povo da espera pela nova … Continuar lendo

Publicado em imagens | Marcado com , , , , , , , | 1 Comentário

Despedida: conto erótico

“Nas gotas de suor que perambulavam soltas na minha barriga por baixo do meu vestido azul eu sentia também as gotas dos teus antigos gozos, quando teu orgasmo fazia piscininhas no meu umbigo e na minha boca…” Texto de Une … Continuar lendo

Publicado em a href, imagens, literatura & lingüística | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário

reciclarte

Esse é o trampo do Adonis Gartner. Ele divide um lava-carros com um sócio na Avenida do Forte, em Porto Alegre, mas no tempo livre garimpa por peças de plástico e metal pra fazer essas artes que tive o prazer … Continuar lendo

Publicado em imagens | Marcado com , , , , , , , , | 1 Comentário

p a p e l e r a –

Hoje durante o curso dei de cara com o número 49411. Obviamente um número primo. Por que reconheço números primos, memorizo alguns aniversários enquanto esqueço outros, não sei. Mas o número 33898938237, que achei que não fosse primo, e decidi … Continuar lendo

Publicado em imagens, literatura & lingüística | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

a ilha dos mortos

Ouvi “Isle of the Dead”, do meu querido Rachmaninoff, enquanto lia “The Soul is not a Smithy” (conto de David Foster Wallace, do livro “Oblivion”). O desenvolvimento de ambos — da música e da história naquele ponto — não podia … Continuar lendo

Publicado em imagens, música | Marcado com , , , , , , , | Deixe um comentário