Arquivo da categoria: versos

essa amizade louca e sincera

por amizades loucas construídas passo a passo a passos tortos pela madrugada rumo a nada juntando sem juízo risos amores laços gente, bichos; nosso tudo! à amizade amada brindo de negroni à mão; (mão aos céus) sim, quero sincero, que … Continuar lendo

Publicado em música, versos | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

pr’amiga que vi online

“Danu” eu queria dizer que sonhei contigo essa noite, pra tentar lembrar do sonho, pra dizer que tu estava lá, pra que enfim, algo se criasse em cima da não lembrança. ou então comunicar o acaso de ter encontrado alguém … Continuar lendo

Publicado em versos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

sem choro, o que seria?

e o que seria da gente se não pudesse chorar pingar partes dessa dor que é dentro e é pra sempre? um gemido abafado por um choro sem aviso que ao verter nos corta o ar e já nem dói … Continuar lendo

Publicado em versos | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário

escancarado

a poesia até aguenta o cheiro do mofo das gavetas onde derrubaste copos dos quais sorveste o âmbar do esquecimento mas o coração, meu caro este tem de ser escancarado que teu amor berre a oprimir-lhe os ouvidos porque os … Continuar lendo

Publicado em versos | Marcado com , , , , , , | 1 Comentário

in memoriam

escrito a 24 de junho de 2016 eu só queria alguém que entendesse e ouvisse todas minhas piadas alguém que botasse meu cerebro numa discussão legal, mas soubesse me abraçar quando eu quisesse ficar quieto porra, só queria algo em … Continuar lendo

Publicado em a vida em anexo, versos | Marcado com , | Deixe um comentário

que bagunça, cara…

Quase quatro meses e não consigo traduzir um texto sobre saúde masculina sem desatar a chorar… Mas isso é saudade, não? E como é bom te amar, cara. Como é bom te amar pra sempre. Encolhido num sofá e chorando … Continuar lendo

Publicado em a vida em anexo, versos | Marcado com , , | Deixe um comentário

amanhecendo tarde

Amanheceu e já era tarde demais Queria, como o Sol, recomeçar brilhante depois da longa volta mas estafara. Como o sol, consumia-se para que suas chamas alcançassem mais, brilhassem mais longe, Mas foi rápido demais: Amanheceu e já se encolhia … Continuar lendo

Publicado em literatura & lingüística, música, versos | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário