Arquivo da categoria: versos

in memoriam

escrito a 24 de junho de 2016 eu só queria alguém que entendesse e ouvisse todas minhas piadas alguém que botasse meu cerebro numa discussão legal, mas soubesse me abraçar quando eu quisesse ficar quieto porra, só queria algo em … Continuar lendo

Publicado em a vida em anexo, versos | Marcado com , | Deixe um comentário

que bagunça, cara…

Quase quatro meses e não consigo traduzir um texto sobre saúde masculina sem desatar a chorar… Mas isso é saudade, não? E como é bom te amar, cara. Como é bom te amar pra sempre. Encolhido num sofá e chorando … Continuar lendo

Publicado em a vida em anexo, versos | Marcado com , , | Deixe um comentário

amanhecendo tarde

Amanheceu e já era tarde demais Queria, como o Sol, recomeçar brilhante depois da longa volta mas estafara. Como o sol, consumia-se para que suas chamas alcançassem mais, brilhassem mais longe, Mas foi rápido demais: Amanheceu e já se encolhia … Continuar lendo

Publicado em literatura & lingüística, música, versos | Marcado com , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

mais uma

Só mais um maço de Pielroja e outro de L&M, por favor. Depois me mandem para à frente do batalhão, bradem seus punhais ou tragam a cruz que considerarem de tamanho justo. Talharei eu mesmo meu crime na madeira, afiarei … Continuar lendo

Publicado em versos | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

10 de maio de 2016

pra não morrer de tédio, pra não morrer de forca, pra não morrer por veneno, pra não morrer de velho morreu de esquecimento, o poeta. pra não ser visto sério, pra não preocupar, pra não causar dano, pra não ter … Continuar lendo

Publicado em literatura & lingüística, versos | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

o manuscrito

Há algum tempo, talvez um ano, um amigo pediu para que eu lesse e editasse um livro seu. Era um projeto que deveríamos tocar com calma, se fôssemos levá-lo adiante. Ele confiou esse manuscrito a mim e a outra amiga … Continuar lendo

Publicado em literatura & lingüística, versos | Marcado com , | 1 Comentário

perdidos e salvos

Qualquer que fosse nossa perdição, amor algum poderia nos salvar. A poesia não nos salvaria, nem as viagens, os amigos, as amigas, tampouco o carinho, a cerveja, jogos de futebol, noites insones barganhando cada minuto de diversão ou debatendo as … Continuar lendo

Publicado em versos | Marcado com , , , , , , | Deixe um comentário