poemas selecionados

bom dia

Confissões
  divididas em
                linhas

Desejos
  proferidos em
                versos

Gozo
  expelido
                nas pernas

Cigarro
  fumado
                na rua

Vontade
  da vontade
          tua

Confesso
  que te quero nua

Desejo
  que me queiras tua

Flertas
  e a pele sua

Goza
  pra trocarmos
    cigarros e soprarmos
      vontades
        fugindo fumaças

E só sobre nós
  num abraço só

Guardando do frio
  nossos corpos

Sonhando sorrio
  Dormindo m’enfio
    Pressando pernas
      roçando pés

            Juntando costa
              a barriga

          Face
            a pescoço

      Sonho a sonho.

Pra acordar
  com tudo trocado
    e rir

tu do meu braço pra fora da cama
eu da tua perna-cabana
  montada na haste
  da ereção matinal…

-Vamos conversar sobre isso?

      Sugerem teus lábios
        enquanto esconde
            meu peito em tua boca.

erotica

Entre beijos escapavam surpresas
nas mesas deixava bilhetes, cervejas
À espera de alguém que a veja

Ela cantava tão só
sob a água ao banhar-se
Que se muda corresse ao mar
e seguisse
ninguém veria;
que triste.

Vem servir a vontade
minha de amordaçar-te
e prender teu cabelo em mãos
Olhai-me e ri à vontade

Teus dentes, tal hastes
A cortar-me à línea
Divisa entre glande
e o troféu que
trouxe pra ti.

Presas, tuas mãos
às coxas que
teus lábios
sugarão
À pele arroxar

Deitas meu punho
em teu peito
Minha perna, a
tuas costas
Virilha em teu rosto

Se te solto
me faz teu escravo
Me toma de assalto
e provas que mostro

Meu corpo é asfalto
pra que embale tua ida

Em que calas
a missa
que rezamos
há anos

Meu pau precisa
de ti como tua
xota precisa.

se

Se tu língua desvendasse
    em movimentos histéricos
      investidas exploratórias
meu ânus

Se as pernas que fazes
      dançar
    à minha frente
        às minhas costas fizessem
        o que quero fazer-te
          (e muito mais!)

Se os dedos com que
  seguras o copo
    a tocar minha boca
  tateassem a ereção

Se os lábios
    que leva entre as coxas
    beijassem os lábios
    que quero à tua boca

Se teu corpo expulsar a distância
    que o separa do meu…

g. em março

Se tu gozasse
    a cada vez
  que me masturbo
      pensando em ti

  teus lençois seriam leitos
      do rio teu-quarto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s